Muda sua vida...hoje!

Lisboa Counselling
4. Stalking – Com agir?

Pensamento

 

 

 

 

 

 

 

Não gastes a tua energia a analisar a situação, a tentar perceber porque é que aquela pessoa está a fazer isso, achar que é injusto isso acontecer contigo ou qualquer outra “actividade” que seja perfeitamente inútil nessa situação.

 

Nós vivemos numa sociedade ainda muito influenciada pelas correntes da psicologia do fim do século passado. Assim, parece que o mais importante é percebermos as razões do abuso, entendemos os meandros recônditos da mente de pessoas que mostram atitudes destrutivas e compreender que “traumas” do passado as levam a agir assim. Tudo isto poderia ser até muito interessante mas, enquanto estás nessa onda, manténs-te numa situação de risco que pode vir a ter graves consequências.

 

Eu costumo dizer que o trabalho em counselling é muito parecido com o trabalho dos bombeiros quando chegam a um fogo. O objectivo deles não é perceber as causas do incêndio ou se alguém o ateou, mas resgatar com vida as pessoas que estão dentro do edifício em chamas. “Perceber”, será mais tarde, quando já não houver ninguém em risco.

Da mesma forma, em counselling, o objectivo é ajudar os nossos clientes a resolver o seu problema, a sair da sua situação de dor, a gerir riscos de forma consciente, informada e eficaz. O processo de entender o problema, vai acontecendo de forma natural enquanto o vamos resolvendo e ultrapassando. O foco é resolver — perceber, é um benefício paralelo que vem aliado ao nosso trabalho de resolução.

 

Uma pessoa que está a perseguir-te de forma persistente e de quem não te consegues livrar com uma “sacudidela”, está a colocar a tua segurança em risco (podes ler mais informação acerca destes aspectos nos anteriores artigos desta série). Então, precisas de agir. O que podes fazer?

 

Gestos práticos 

. Partilha

Um dos aspectos mais importantes em qualquer tipo de violência pessoal (como o stalking), é não ficares sozinho nessa situação. Não permitas que isso permaneça em segredo. Por mais absurdas, embaraçosas ou vergonhosas que sejam as atitudes ou palavras do teu stalker, precisas de as partilhar com alguém. Conta o que se passa a alguns colegas ou amigos.

. Evita situações ou locais possivelmente perigosos

Procura não andar sozinho em locais isolados nem estar a sós com o teu stalker. Tenta não entrar em conversas com ele nem lhe passar informações pessoais (o que vais fazer, com quem vais estar, etc).

. Não te mostres assustado

Esta é uma situação de risco. No entanto, mostrares medo vai aumentar o risco, pois pode mostrar ao teu perseguidor que estás vulnerável e encorajá-lo a ter atitudes mais audaciosas.

 

Não tentes “criar ondas” 

O protagonista de uma situação de violência pessoal é sempre uma pessoa potencialmente perigosa. É alguém extremamente hábil em todo o tipo de estratégias abusivas, como manipulação, chantagem e outras formas de pressão (apesar de a maioria deles parecer o oposto).

Então, não tentes atacá-lo ou pressioná-lo. NÃO lhe digas que ele é um agressor ou um criminoso. O objectivo não é fazeres com que ele entenda (ele sabe muito bem o que está a fazer), mas saíres dessa situação. Não o confrontes! – não é por aí que vais resolver a situação.

Se necessário, procura ajuda profissional.

 

Abordagem de counselling 

O trabalho em counselling começa pelo fortalecimento emocional e mental de quem está a ser vítima deste tipo de pessoas. Ao mesmo tempo, vamos desenvolvendo e treinando skills e estratégias para lidar com cada situação específica. São abordados os riscos reais que a pessoa pode estar a correr, e as estratégias para os reduzir ou eliminar, assim como identificação de recursos que poderão ser usados ao longo deste processo.

Normalmente é necessário fazer todo um trabalho interior de recuperação da auto-imagem e do bem-estar. E, enquanto este processo dura, ajudar a encontrar o equilíbrio entre a gestão consciente de riscos e a capacidade de viver uma vida plena, sem medos constantes.

 

Stalking não é apenas uma pessoa “melga”. É crime e pode ter graves consequências para a tua vida. Se estás numa situação dessas, precisas de agir para saíres dela.

No LisboaCounselling podes encontrar este tipo de ajuda, numa abordagem positiva e de baixo risco. Contacta-nos!

2 Responses to “4. Stalking – Com agir?”

Deixa-nós uma resposta...

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

* *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>