Muda sua vida...hoje!

Lisboa Counselling
4. Terapia de Casal – Abordagem Positiva

Slide1

Aspectos práticos da abordagem do LisboaCounselling 

Em terapia de casal, as sessões são individuais. “Porquê”? – perguntam-me muitos casais.

Sendo sessões individuais, durante o processo há menos atrito, menos dor e menos riscos de que a relação fique pior. Apesar de counselling não ser o espaço para “fazer queixas do outro”, nas primeiras semanas em que ainda não foram desenvolvidas muitas competências de comunicação positiva, é fácil haver comentários de um que é escusado o outro ouvir.

As sessões individuais, na prática, ajudam-nos a “chegar lá” mais depressa. O avanço da mudança é muito mais rápido e mais fácil do que sendo sessões conjuntas.

Outra razão é que, para além dos aspectos comuns que ambos vão estar a melhorar, cada um precisa de trabalhar áreas específicas que frequentemente são opostas.

 

As sessões de counselling normalmente são semanais, de forma a alcançarmos um bom ritmo de mudança e, em pouco tempo, começarmos a ver diferenças significativas.

 

Tarefas

Outro dos factores que nos leva a alcançar resultados tão rápidos, é que counselling é um trabalho “a tempo inteiro”. O processo de mudança não ocorre nas sessões, mas na vida real.  Ou seja, em cada sessão vão sendo planeados pequenos aspectos a colocar em prática, novas competências, ferramentas para tornar possível comunicar sem agredir (nem ser agredido), etc. E estas ferramentas vão estar a ser usadas ao longo dos dias, nas várias situações em que se encontrem. Vão ser novas formas de agir e de lidar com os aspectos difíceis.

Estas tarefas, sendo definidas para cada situação específica e de forma progressiva, ajudam cada um a verificar que é possível; permitem que cada um consiga comunicar ou agir sem ter que estar à defesa ou à espera de algum tipo de pressão; fazem com que se reduza a sensação de que a presença do outro é insuportável. É frequente estes clientes ficarem surpresos ao perceberem que até nem é assim tão desagradável. Alguns já não se lembravam de como era estar juntos e bem. Isto acontece porque as ferramentas são trabalhadas pelos dois, ou seja, ambos sabem o que podem ou não podem fazer e ambos percebem o que o outro está a tentar transmitir. Quase como se estivessem a reaprender a usar uma linguagem comum a ambos.

 

Confidencialidade

Nas sessões, cada um pode estar completamente relaxado e à vontade, numa atmosfera empática e não ameaçadora, sem correr o risco de que haja mal entendidos que tragam consequências negativas. E os aspectos que cada um fala não vão ser transmitidos ao outro. A única coisa que eu partilho com cada um acerca do outro, são as tarefas comuns – na mesma semana vão estar os dois a treinar os mesmos aspectos ou áreas e aí, cada um sabe que o outro também o está a fazer.

 

Um estilo de vida

A nossa abordagem transforma a “terapia”, num novo estilo de vida. É uma nova visão da vida, mais realista, tomando consciência do negativo mas também do positivo … e escolhendo caminhar pelo lado positivo.

Positivo não é sorrir a tudo, permitir tudo, engolir sapos, mas aprender a influenciar a atitude do outro, a definir limites sem que o outro se sinta ameaçado, a impedir atitudes erradas sem agredir.

 

Escolhas informadas

Esta abordagem leva a um aumento da capacidade de fazer escolhas conscientes e informadas, de agir por opção e não por impulso descontrolado. Aprendes como fazer o processo, como dar os vários passos que devem fazer parte de uma tomada de posição.

 

E quando não resulta?

Para se restaurar um casamento, é preciso que ambos o desejem. Como referi nos artigos anteriores desta série, podemos começar a trabalhar apenas com um dos membros do casal, tentando criar mudança de forma a se construir um ambiente propício a uma restauração. No entanto, o outro pode continuar a querer o divórcio.

Nesse caso, todo o processo de counselling foi em vão? Não! Aí, continuamos a trabalhar com o nosso cliente áreas de crescimento e desenvolvimento pessoal: gestão das emoções; o lidar com as feridas;  perdão, como forma de libertação da mágoa e da dor; competências de comunicação positiva; resiliência, a capacidade não só de sobreviver a esta fase, mas de sair dela com “lucro”, com mais estabilidade, com uma noção de felicidade mais positiva e realista e com uma maior capacidade de definir os seus alvos e de trabalhar para os alcançar.

E, obviamente, todo o apoio necessário para lidar com os aspectos práticos da separação e com as lutas e jogos baixos que o outro possa decidir fazer.

 

Filhos

Sempre que necessário, é trabalhada a relação de cada um dos pais com os filhos.  Cada um é ajudado a manter/desenvolver uma relação positiva e saudável com os filhos e a reduzir o impacto negativo que os conflitos entre o casal possam ter nestes.

 

No LisboaCounselling não vais encontrar um “programa” de terapia de casal, mas uma abordagem planeada para a tua situação específica. Ao longo do percurso, esta abordagem vai sendo afinada, lidando com aspetos mais específicos, ajustando-se à evolução da situação ou a possíveis surpresas que surjam. A nossa abordagem é desenhada passo a passo, de maneira a se encaixar nas tuas necessidades da forma mais eficaz possível.

 

O LisboaCounselling foi criado para te ajudar a mudar a tua vida. Contacta-nos!

Deixa-nós uma resposta...

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

* *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>