Muda sua vida...hoje!

Lisboa Counselling
1.Burnout / Esgotamento — O que é?

Burnout é muito mais do que um esgotamento a nível profissional.

Burnout

 

Esgotamento profissional

Burnout foi inicialmente definido como um esgotamento profissional causado essencialmente por uma má e desequilibrada gestão tanto da vida profissional como familiar e social. Começa com um aumento de esmero profissional e desejo de cumprir objectivos, mas rapidamente evolui para uma ânsia cada vez mais forte de ser o melhor e de mostrar um alto grau de desempenho.

 

Auto-imagem

Com o agravamento da situação, há um aumento do impacto da opinião dos outros. A auto-estima e auto-imagem começam a depender directamente das suas realizações e do reconhecimento dos outros. O seu valor pessoal passa a depender quase exclusivamente do que consegue realizar e do feedback que recebe (ou não). Esta situação é muito agravada e evolui mais rapidamente quando esse feedback não existe e o desempenho não é reconhecido nem valorizado. Aí, a necessidade de mostrar o seu valor profissional pode tornar-se uma obsessão.

 

Quando o teu bem-estar interior e auto-imagem dependem da opinião dos outros, a tua segurança está em risco. A tua fragilidade aumenta e as tuas capacidades (mesmo de “sobrevivência”) diminuem.

 

Esgotamento nervoso

Mas não são só as pessoas com cargos profissionais de grande responsabilidade que estão sujeitas a burnout. Na realidade, a maioria das situações de esgotamento está intimamente ligada a um processo emocional que leva as pessoas a entrar em colapso. Isto acontece quando há uma pressão emocional muito elevada, num ambiente de conflito, manipulação e outros jogos psicológicos e, de forma mais pesada, em situações de bullying e violência doméstica. Uma simples dona de casa pode ter um processo de esgotamento tão grave como uma pessoa num cargo profissional de enorme responsabilidade.

Apesar de hoje em dia se encontrarem casos de esgotamento em qualquer ambiente, gostaria de salientar os professores, que se sentem completamente isolados, no meio da pressão de burocracias, avaliações e outras exigências colocadas sobre eles e, por outro lado, com um ambiente dentro da sala de aula que eles não sabem como gerir. A falta de disciplina nas aulas torna muitas vezes impossível aos professores dar a matéria ou cumprir os objectivos que lhes são exigidos. E as situações de bullying, de alunos contra professores, são cada vez mais frequentes e mais graves. O que fazer? No mínimo, estes professores precisam de formação e treino em competências específicas para lidar com estas situações.

 

Grupos de risco

Aqueles que estão em maior risco de ter um esgotamento são os que têm profissões que “tratam” de pessoas, como profissionais de saúde, assistente sociais, professores, e também pessoas com grande responsabilidade sobre os bens de outros, como o sector bancário ou a bolsa.

Os estudantes, principalmente no ensino superior, sendo mais jovens e tendo maior capacidade para “aguentar”, podem demorar mais tempo a perceber / reconhecer que estão num processo de esgotamento. Este está ligado não só à pressão do grande volume e complexidade do estudo, mas muitas vezes também à falta de apoio social, afastamento da família, tendência para isolamento, ambientes com muita rivalidade, pouca entre-ajuda ou mesmo situações de bullying.

 

Negação e isolamento

Na maioria dos casos de esgotamento, principalmente em pessoas com maiores capacidades intelectuais ou responsabilidades profissionais, há uma negação do problema, por vezes até entrar literalmente em colapso e ser obrigado a aceitar ajuda. Há um aumento na tendência para negar os problemas ou conflitos, para não os enfrentar ou resolver, desenvolvendo uma crescente anti-socialização e perda de sentido de humor. Aumenta também o desinteresse ou mesmo negligência em relação a necessidades básicas, como comer, dormir, vida social e lazer.

 

Burnout, como muitos outros problemas psicológicos, é uma espiral descendente de auto-destruição.

Há um caminho de volta. E quanto mais cedo perceberes isso e começares a fazer esse caminho, menos riscos corres e menos graves serão as sequelas.

O dia certo para começares a lidar com o teu problema, seja ele qual for, é hoje. Quanto ao ontem, já não podes fazer nada; e esperar pelo amanhã, é só permitir que o problema se agrave e que o investimento para o resolver tenha que ser maior.

 

 

 

Deixa-nós uma resposta...

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

* *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>