Muda sua vida...hoje!

Lisboa Counselling
1.Divórcio — Como Gerir Este Tempo de Ruptura?

Sobrevive!

 

 

 

 

 

 

 

 

Manteres-te “vivo”

deve ser um dos teus principais alvos!

Se tu desmoronas,

tudo o resto entrará também em colapso.

 

 

O número de divórcios continua a aumentar. No entanto, na maioria das situações de ruptura de relacionamentos este pode ser evitado se for usada uma abordagem de reconstrução do relacionamento que seja eficaz. O LisboaCounselling é frequentemente a “última tentativa”, em relações destroçadas, que depois acabam por evoluir para um bom relacionamento — frequentemente melhor do que alguma vez tinham tido.

 

Nas situações em que não é possível a reconciliação (ou se já estás num processo de divórcio e não queres reconsiderar) há aspectos que devem ser abordados, de forma a tornar este processo o menos doloroso possível para as várias pessoas envolvidas.

 

Amigável vs. litigioso

Frequentemente só um dos conjugues quer a separação. Nesse caso, é comum o outro recusar dar o divórcio, normalmente com o pretexto de estar a tentar “manter o casamento”. Mas… manter um casamento à força? Isso não é possível! E essa atitude, de impor a sua vontade, elimina qualquer possibilidade de comunicação ou reconstrução seja do que for (se queres mesmo lutar pelo teu casamento e já não sabes o que mais fazer, contacta-nos; mesmo numa situação “sem esperança” pode ser possível obter resultados).

Mas se o resultado final vai ser mesmo a separação, não adianta lutar nem fazer guerra. Tendo essa atitude só vais provocar sofrimento em todos, incluindo em ti próprio/a. Para além disso, o tentares obrigar outra pessoa a viver contigo, pela força, é uma atitude eticamente muito duvidosa. Provocas um desgaste emocional tremendo, por vezes com feridas que deixam marcas ao longo de anos… para além de estares a mostrar a tua capacidade de ter atitudes de baixo nível, confirmando que o teu conjugue provavelmente terá boas razões para querer separar-se…

 

Reduzir o conflito

Se vais mesmo acabar por te divorciar, por mais que isso te custe, baixa as armas!!! Certamente por esta altura já terá havido suficientes guerras entre vocês. Coloca como objectivo o chegar ao fim deste período (que sempre é doloroso), com o mínimo de sofrimento. Não há mérito nenhum em conseguires magoar ou vingar-te. Esquece isso e faz o que estiver ao teu alcance para facilitar o processo. Isso não é mostrares-te fraco nem aceitares a “derrota”. Pelo contrário, mostra que mesmo não sendo o que desejas, estás disposto/a a manter uma atitude positiva e correcta. Isso requer muito mais força interior e carácter do que fazer “uma cena”.

 

Aspectos legais

Num divórcio, há vários aspectos que é necessário gerir, desde os filhos até aos bens materiais. Para isso, é importante teres um advogado em quem possas confiar. Procura que ele te envie as cópias dos documentos que ele redigir e os comprovativos de entrada do processo em tribunal ou outros. Não fiques simplesmente à espera que ele faça a sua parte — mantém-te activo e certifica-te de que isso está a acontecer. Assim podes evitar “mal entendidos” que frequentemente se tornam mais um problema a somar aos que já tens.

 

Sobrevive!

Por muito doloroso e demorado que seja esse processo, um dia vai chegar ao fim. Não te deixes ficar “na fossa”. Procura manter em funcionamento os outros aspectos da tua vida — trabalho, amigos… mesmo o descanso. Isso vai ajudar-te a manteres a tua mente um pouco mais leve e a ultrapassares a situação.

 

No próximo artigo vou falar acerca da importância de gerires bem as tuas responsabilidades e da melhor forma de lidares com a pressão por parte de outras pessoas (família, amigos).

 

Deixa-nós uma resposta...

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

* *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>