Muda sua vida...hoje!

Lisboa Counselling
2.Medos — Quando Pode Começar?

Slide1

 

Ao partilhar o artigo anterior pelas redes sociais, fui recebendo  feedback de medos que algumas pessoas reconhecem ter. Mesmo homens afirmaram ter medo de coisas tão banais como aranhas ou lugares fechados. E eu digo “mesmo homens” porque há muito a ideia de que “os homens não devem ter medo de nada”. No artigo anterior já percebemos que não ter medo de nada é, no mínimo, uma atitude irresponsável e estúpida. Então, se pensas que não tens medo de nada porque acreditas que tens que ser assim, podes começar a mudar um pouco esse teu ponto de vista (que talvez te tenha sido incutido). Ter medo não é errado nem sinal de fraqueza. Mas precisas de gerir os teus medos, especialmente aqueles que não têm razão de ser ou que te prejudicam.

 

“Níveis” de medo

A reação a situações de medo é instintiva e, na maioria das vezes, fruto de um hábito. Ou seja, muitas das pessoas que gritam e fogem quando vêem uma aranha, fazem-no apenas porque essa é a sua atitude automática em tal situação. No entanto, se refrearem esse primeiro impulso, algumas dessas pessoas até são capazes de olhar para a aranha sem ficarem muito perturbadas.

Isto significa que a reação exterior da pessoa à situação de medo, não é necessariamente proporcional a esse medo. A intensidade do medo pode ir desde um incómodo ou desagrado até um bloqueio total.

 

Medo paralisante

Há alguns dias a minha atenção foi captada por uma conversa de balneários, entre três amigas, acerca de medo da água. Uma delas tinha começado a ter medo da água, nas férias, há dois anos atrás. Simplesmente tinha sentido um grande medo do mar, que parece ter começado a partir do nada e que se manteve pelo resto das férias. Ela resolveu não fazer nenhum drama, achando que isso iria passar.

No entanto, desde aí não conseguiu voltar a entrar na água, nem sequer na piscina. Ela pratica desporto e costumava nadar com regularidade. Agora, só aproximar-se da beira da piscina faz com que ela fique paralisada e tenha que se controlar fortemente para não entrar em pânico. Desportista e destemida desde sempre, vê-se limitada por uma situação que é absurda, que não faz qualquer sentido, mas que ela é incapaz de controlar.

 

Quanto mais equilibrado, mais difícil

Esta pode parecer uma história um pouco exagerada, de alguém que terá algum tipo de fragilidade emocional. Mas não é uma situação assim tão incomum. Há imensas pessoas que têm medos que as impedem completamente de fazer determinadas coisas. E torna-se ainda mais difícil, quando são pessoas equilibradas, de quem ninguém pensaria isso. Afinal, é muito mais fácil lidar com um medo quando se é uma pessoa mais “histérica” que se perturba ou reage fortemente com qualquer pequena coisa, do que quando é uma pessoa mais estável, mais equilibrada, com um perfil que não liga nada bem com esse aspecto de medos irracionais. Isso faz com que, quanto melhor imagem a pessoa tem, mais tenha que se esforçar para esconder esse medo, criando dentro de si uma pressão tão alta que por vezes acaba por desencadear outros problemas.

 

Quando pode começar?

Algumas pessoas têm determinados medos desde que se conhecem. Alguns foram incutidos, por exemplo pela família ou amigos, outros começaram na sequência de um evento assustador ou traumático. No entanto, também há aqueles medos, como o do exemplo que dei acima, que começam de repente, sem qualquer aviso, e com uma intensidade tal que a pessoa não o consegue controlar. Esse início súbito tem ainda a agravante de obrigar a pessoa a mudar alguns hábitos, de forma a evitar a situação que lhe provoca medo, por vezes mantendo-se numa pressão interior constante para conseguir esconder isso dos outros.

 

Este tipo de medo não é racional nem faz sentido.  É algo que os teus amigos, se soubessem, achariam ridículo. Então, parece que a única opção é continuares a esconder, acreditando que essa área da vida te está vedada.

Se tens um medo que te escraviza, não tens que continuar a viver assim. Podes aprender a ultrapassar essa situação.

No LisboaCounselling podes encontrar este apoio, num trabalho sistemático e progressivo que te ajudará a libertares-te dos teus medos. Contacta-nos!

info@lisboacounselling.com

 

 

Deixa-nós uma resposta...

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

* *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>