Muda sua vida...hoje!

Lisboa Counselling
4.Relações InterPessoais — Comunicação Positiva

Nesta série de artigos, tenho estado a abordar os relacionamentos dentro da família. Normalmente, estes são os relacionamentos que nos “doem” mais. São as pessoas mais próximas de nós que nos podem trazer as maiores alegrias, mas também as que têm mais “poder” (por serem tão significativas para nós) para nos magoar, para nos esmagar.

Momentos leves

 

Conflitos vs comunicação ineficaz

Muitas das interações difíceis, dentro da família, têm a ver com problemas ou conflitos. No entanto, na maioria dessas situações, o que há não são problemas graves nem sequer conflitos sérios, mas uma total falta de habilidade a nível de comunicação. Muitas mágoas, ressentimentos e barreiras são provocadas por mal entendidos, por comunicação pobre ou pouco clara, por expectativas silenciosas, que vão tendo um papel muito activo (mesmo que não seja intencional) no desgaste da relação.

 

Comunicação positiva vs permissividade

Quando se fala em comunicação positiva, é fácil isso ser visto como permissividade. No entanto, quem tem seguido o meu trabalho, tem uma clara noção de que eu nunca apoio atitudes permissivas que vão de alguma forma pactuar com o erro, o desrespeito ou mesmo com atitudes e comportamentos destrutivos.

 

O que é comunicação positiva?

A tendência natural, é “jogarmos o jogo que já está na mesa”. Ou seja, quando um ambiente já está com algumas características negativas, é normal nós também contribuirmos para essa tendência. Num ambiente em que as pessoas se vão “picando”, por exemplo, é fácil também começarmos a ficar irritados, aumentando o clima de hostilidade latente.

A comunicação positiva permite-nos ter uma influência positiva no ambiente. Através do desenvolvimento de algumas competências de comunicação, podemos diminuir o peso e a pressão do ambiente, influenciar as atitudes de outros e cooperar para uma aproximação nas relações, em vez de contribuirmos para um maior afastamento e ressentimento.

 

O caminho positivo

A comunicação positiva identifica capacidades e aspectos positivos e incentiva-os. Para parares uma atitude negativa, podes criticar o que está mal ou, pelo contrário, incentivar aquilo que já está a ser positivo. Parece a mesma coisa mas não é. De todo! Quando criticas uma pessoa, geras nela emoções negativas que a fazem ter vontade de continuar com as atitudes negativas ou destrutivas que está a ter. É fácil a crítica levar a pessoa a agir ainda pior do que já estava a fazer.

Por outro lado, quando identificas e encorajas algo positivo, fazes com que o outro, inconscientemente, se sinta estimulado a continuar nesse percurso mais positivo.

 

Construir

Criticar, ralhar e dizer o que está mal, quando muito, pode levar a que o outro perceba que está a fazer algo errado. Mas se o teu objectivo é construíres o vosso relacionamento, precisas de agir com sabedoria e cuidado. A prioridade precisa de ser manter a comunicação aberta… ou voltar a restaurar essa comunicação se ela já não existir.

Quando há muito atrito, é fácil qualquer palavra ser mal interpretada e levar a maior hostilidade.

 

O percurso

Para seguires um percurso, tens que o fazer passo a passo, a partir do início. Na reconstrução de relacionamentos, precisas de ter a mesma atitude. Não podes começar por abordar o que está muito mal (provavelmente a pessoa não está disposta a ouvir isso) mas sim começar a criar um ambiente em que seja possível comunicar sem que ninguém se sinta ameaçado; começar a criar momentos em conjunto, que não sejam tão desagradáveis, momentos mais leves e positivos. E a partir daí, começares a trabalhar a mudança.

 

Há dois caminhos opostos para alcançares um alvo: o negativo, de criticar, proibir, pressionar, ou o positivo, de cativar e motivar para a mudança. Counselling usa a abordagem positiva porque representa menos riscos, menos “baixas” e chega lá mais depressa.

Em Counselling podes desenvolver as competências de comunicação que tornarão mais provável a restauração do vosso relacionamento.

 

 

Deixa-nós uma resposta...

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

* *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>