Muitos casais passam anos a tentar ter filhos, passando por consultas, exames, tratamentos, e cada mês se deparando com a dor de, mais uma vez, não ter conseguido engravidar. Muitos desses casais acabam por desistir sem terem conseguido. Em alguns destes, passado um tempo, ela engravida, quando já não estavam a tentar nada.

 

Qual o problema?

Mesmo quando não existe uma razão física que impossibilite uma gravidez, há muitos outros factores que podem dificultar.

O enorme desejo de ter filhos torna-se uma expectativa intensa, um tema a tempo inteiro, que vai influenciar o ambiente emocional, o equilíbrio hormonal e a própria fisiologia, o funcionamento do corpo. É como que um pacote de imensos factores que leva a que o corpo bloqueie e não consiga fazer o que lhe é natural.

 

Relação no casal

A intimidade vai perdendo muito da sua espontaneidade. Torna-se uma missão, com um alvo que têm de conseguir alcançar – uma gravidez. A relação sexual começa a ser cada vez mais marcada pelo tempo, pelos períodos férteis, e não pelo desejo. Em muitos destes casais, a relação deixa de acontecer só por si, passando a ser sempre “agendada”, a ter sempre uma segunda intenção (que parece ser a que interessa!).

Esta pressão intensa dentro de cada um vai desgastando o bem-estar individual e também do casal.

É frequente um dos membros do casal ter um desejo maior por ter filhos do que o outro. Numa situação tão delicada e com tantos ingredientes potencialmente tóxicos e destrutivos, esta divergência entre ambos vai aumentando e, por vezes, levando a um afastamento emocional. Muitas vezes, um já quer desistir, está cansado/a, já sente que aquele tema está a destruir a vida deles. Para o outro, o ter um filho pode tornar-se uma obsessão, um tema que está na sua mente a tempo inteiro.

Muitos sentimentos são gerados nestes meses ou anos de “investimento”; sentimentos como ansiedade, angústia e frustração, ira, depressão, raiva, sensação de impotência, de injustiça. Também surgem sentimentos em relação a si próprio/a (culpa, por não conseguir) ou de amargura e acusação em relação ao outro.

 

Relação com os outros

É muito comum haver perguntas (“então, quando é que engravidas?”), comentários e conselhos (“Não deixes ficar para muito tarde”, “vocês já deviam ter filhos”), por parte da família e amigos. Muitos casais sofrem uma pressão aberta e intensa por parte dos pais ou outros familiares. Isso pode tornar-se um tema obrigatório de todas as vezes que se falam, criando um ambiente constrangedor e prejudicando também a relação com esses familiares, que deveriam ser um ponto de apoio e não de pressão.

Este interesse por parte dos outros, é compreensível, faz sentido. No entanto, em muitos casais, é mais um ponto de pressão, que pode ser mesmo muito grave e contribuir para o bloqueio em que o corpo está.

No entanto, esta pressão existe porque o casal deu espaço para isso. Talvez penses que no teu caso, não foi o espaço que cedeste; que não seria possível evitar esta pressão por parte da tua família… Isto é o que muitos dos meus clientes dizem, que na sua família não seria possível criar limites, desenvolver privacidade do casal, sem estar a ferir outras pessoas. No entanto, isso é um dos aspectos que sempre conseguimos mudar, mesmo em relação a pais / sogros muito intrusivos. É o casal, és tu, quem precisa de definir os vossos/teus limites. E usar as ferramentas para os implementar sem prejudicar a relação com os pais / sogros. Na verdade, aquilo a que eu chamo “assertividade elegante”, as estratégias e ferramentas que usamos e podes treinar na LisboaCounselling, vão não só criar o teu espaço que tanto desejas e precisas como ajudar-te a desenvolver uma relação mais positiva, saudável e agradável com os teus pais ou sogros. Para deixares de ser pressionado, não tens que cortar a relação com eles ou evitar falar-lhes.

 

Como é que tudo isto afeta o engravidar?

Num ambiente de expectativas tão intensas para ter filhos, o corpo pode ser visto quase como uma máquina que tem de desempenhar as suas funções… Só que o corpo humano não funciona assim. Essa pressão a tempo inteiro vai criando um ambiente dentro do corpo, uma maior tensão, um equilíbrio hormonal desfazado, que não lhe permite desempenhar esse seu papel que, sem essa pressão, talvez conseguisse fazer.

A pressão, não só na gravidez mas em qualquer outro tema, vai levar o corpo a fazer exatamente o oposto do que se pretende.

 

Querer ter filhos não tem nada de errado. A forma como lidas com esse desejo é que pode não estar a funcionar. No entanto, não tens que ficar bloqueado/a numa infertilidade para a qual não se encontre nenhuma causa orgânica. Se já estás a tentar há meses ou anos e nada acontece, talvez precises de começar a usar uma estratégia diferente.

Ou se estás agora a pensar engravidar e temes não conseguir, podemos começar esse processo antes de desenvolveres mais medos e frustrações que o irão tornar muito mais difícil.

 

Nos próximos artigos, vou falar de aspetos importantes a teres em conta quando queres engravidar e de como poderemos ajudar-te, caso isso seja uma preocupação ou já um problema.

 

Se gostarias de falar acerca de alguns aspetos que estejam a preocupar-te, contacta-nos. Faremos o possível para te ajudar a entender e mudar a tua situação.