“O barulho dos pensamentos dentro da minha cabeça, é ensurdecedor.”

“Vou para a cama sem conseguir desligar do trabalho, passo a noite toda a sonhar com aquilo e acordo exausto.”

 

O Síndrome de Pensamento Acelerado é um hábito. Não é algo no teu corpo que está “avariado” e te obriga a funcionar assim, mas um simples padrão de funcionamento que a mente foi desenvolvendo, que é disfuncional e tem impacto muito negativo.

Perceber isto é importante, pois a forma de ultrapassares este problema não é através de algum tipo de “cura” mas de criar um novo padrão de funcionamento mental, um novo “programa”, uma forma de funcionar não só mais saudável e agradável mas também mais eficaz na tua gestão pessoal e desempenho.

 

O que podes fazer?

Na abordagem de counselling, em vez de focarmos no problema, em o entender ou tentar eliminar, vamos começar a planear e colocar em prática um percurso inverso ao do problema. Este percurso sempre é planeado com estratégias específicas para cada pessoa e cada fase desse processo. No entanto, há algumas ferramentas básicas que podes começar a usar e que te ajudarão a começar a reduzir a aceleração.

  • Não pensar vs mente vazia

Começa por treinar pequenos momentos em que o teu cérebro não está a pensar, em que não há atividade mental, colocando o teu foco apenas nos sentidos. Não é mente vazia nem tentares abstrair-te da realidade. Pelo contrário, é alargares a tua consciência e a informação sensorial que recebes. Observa uma pequena coisa que estás a ver, ou um cheiro que estás a sentir, um som, o toque da brisa no teu rosto, o sabor de um alimento,… Sem palavras, sem pensar. Apenas observando, com atenção e curiosidade.

Objetivo – começares a treinar o teu cérebro a conseguir estar uns momentos sem pensar, permitindo-lhe descansar um pouco do frenesim do pensamento.

  • Desacelerar

O nosso pensamento, a nossa mente, vive dentro do nosso corpo físico. E nós funcionamos dentro de um mesmo ritmo. Ou seja, quando alguma parte de nós está acelerada, tudo o resto também está. Isso significa que podes usar o teu corpo físico para ajudares o teu pensamento a desacelerar.

A respiração pode ser considerada como o leme que te permite dirigir o ritmo do teu corpo e da tua mente.

Tira uns minutos para começares a desacelerar. Procura respirar mais lento e mais profundo, observando as sensações físicas da respiração, observando as sensações nos pulmões e no tórax, o ar a passar pelas narinas, os vários músculos do teu corpo a ficarem mais relaxados.

Procura fazer este exercício sem pensamentos. Quando surgir algum pensamento, não lhe dês atenção e volta a trazer o teu foco para as sensações da respiração.

O que consegues?

– Baixar o ritmo da respiração e do coração

– Baixar o ritmo das ondas cerebrais

 

Como podes aplicar, na prática?

Planeia! Só conseguimos mudança, se a planearmos.

Gasta alguns momentos cada dia a desacelerar a respiração, a observar as informações que recebes através dos sentidos. Podes usar estas ferramentas também ligadas a algumas atividades habituais, observando o que vês, os cheiros, os sons, os sabores, o toque. Em algumas atividades podes fazer os movimentos mais lentos, principalmente ao final do dia, preparando o teu cérebro para um sono com mais qualidade.

Procura praticar isso todos os dias, mesmo que seja só durante alguns minutos.

 

E quando não tens tempo?

Estas ferramentas podem parecer-te difíceis de inserir na tua agenda sobrecarregada. Simplificando-as ainda mais, podes treinar a tomar consciência do que estiveres a fazer no momento, por exemplo saboreando a comida, ouvindo a música com intenção, etc.

Planeia pequenos passos, uma pequena coisa de cada vez, e procura ir tornando essa prática mais natural.

 

Estas ferramentas são apenas uma estratégia básica e inicial para te ajudar a reduzir um pouco a sobrecarga em que a tua mente estará. Se a tua mente está demasiado acelerada, cansada, com dificuldade de concentração e auto-gestão, deves procurar ajuda.

Se gostarias de entender como podes reduzir a aceleração e desgaste, de forma realista e sustentável, contacta-nos. Num curto espaço de tempo, podemos ajudar-te a desenvolver a autonomia e eficácia na tua auto-gestão.