Não desperdices o gap!

 

Perante a frustração ou a dor, a nossa resposta é imediata. O cérebro entra no modo de impulso, que não é racional nem sensato e que na maioria das vezes nos leva a ter um resultado muito diferente do que queríamos.

Para mudar isso, precisas de criar um breve gap, que te permita desligar o modo automático e destrutivo, e pôr a funcionar o modo racional e intencional.

 

Como funciona?

No modo de impulso, o cérebro chama de imediato todas as suas “tropas” – aceleração intensa, hiperventilação, enorme produção de hormonas negativas – que te impulsionam a agir mas te impedem de raciocinar. Nesse modo, o neo-córtex, as tuas áreas racionais, o bom senso, ficam bloqueados. Mas esse impulso, essa reação cega, esse ímpeto que parece incontrolável, pode ser mudado. Para isso, para conseguires ligar o teu cérebro num modo diferente, tens que interromper o do impulso.

E como consegues isso? Como podes impedir de sair a enxurrada de palavras que já vêm à tua boca?

 

Regula as tuas emoções e reage melhor, com esta simples estratégia

Para saíres do modo de impulso, precisas de criar um breve gap e dar alguns passos práticos:

  • Afasta-te
  • Respira
  • Racionaliza
  • Decide

 

Afasta-te

No momento em que te sentes frustrado, irritado ou muito magoado, procura afastar-te por uns momentos. Podes usar algum “pretexto”, como ir buscar um copo de água, por exemplo. Se isso não for possível, cria esses segundos de pausa mesmo onde estás – percebe que não tens que responder imediatamente.

E o que vais fazer nessa breve pausa? Três passos que vão ajudar-te a trazeres o teu cérebro de volta para o teu controlo:

 

Respira

O primeiro passo nessa breve pausa, é desacelerares o teu cérebro (que entrou em modo turbo ao sentir-se ameaçado ou atacado) para que ele volte a ter condições para funcionar.

Respira mais lento. Enche bem os pulmões, devagar, e deixa o ar sair ainda mais lento. Faz isso algumas vezes.

O que consegues nesta curta pausa?

  • Crias uma interrupção, uma pausa no modo destrutivo do impulso.
  • O teu córtex pré-frontal começa a receber mais oxigénio, que vai começar a mudar a forma como te sentes e reduzir a reação de atacar ou fugir.

 

Racionaliza

Coloca a ti próprio algumas questões:

O que é que eu quero nesta situação?

Qual a importância real disto? É algo grave ou que apenas me desagrada?

O que é que eu posso fazer ou dizer para mudar isto?

Saíres do modo de pensamento negativo (focado no que te fizeram de mal) para o positivo (focado na resolução do problema), põe-te de novo no controlo. Aí, tens o poder de escolher como queres responder, e de dirigires a conversa ou interação de uma forma positiva, em vez de contribuíres para a escalada do conflito.

 

Decide

Decide o que podes fazer ou dizer; se precisas de fazer alguma coisa ou se fará mais sentido nessa situação deixar passar.

Na tua decisão, pensa o que queres para esse momento, para essa situação, mas também o que queres a longo prazo para essa relação, seja ela pessoal seja de trabalho.

 

Esta é uma estratégia simples que podes começar a pôr em prática e que te ajudará a não viveres tão dirigido (e prejudicado) pelo impulso. À medida que a vais treinando e usando, vai-se tornando mais fácil e funcional.

 

Se desejas fazer um treino acompanhado de ferramentas para te ajudar a sair do impulso e a usar o cérebro de forma mais eficaz, contacta-nos. Iremos ajudar-te a fazer esse percurso.